Chaves para aplicar corretamente a manutenção corretiva

Tabela de Conteúdos

O trabalho de manutenção industrial é uma ferramenta fundamental para o bom funcionamento de qualquer empresa. Reflete em um impacto direto no processo produtivo e, por isso, torna-se um aspecto fundamental na hora de avaliar e projetar o seu desenvolvimento, independentemente do setor a que a organização se dedica.

Em linhas gerais, identificamos três tipos diferentes de manutenção. As preventivas e preditivas, que se referem à tomada de ações que visam prevenir uma pane ou falha que paralise a produção, prejudicando os objetivos da empresa. A terceira delas, e na qual focalizaremos nossa atenção, é a manutenção corretiva, cuja finalidade é a de corrigir, uma vez que um defeito já tenha ocorrido em algum equipamento ou instalação.

Importância da manutenção 

Em definição geral, a manutenção industrial é um conjunto de atividades necessárias para alcançar o funcionamento ideal das instalações, máquinas e equipamentos, bem como dos diferentes espaços de trabalho que compõem essas instalações industriais.

Ao mesmo tempo, o objetivo final da manutenção industrial é o de garantir a produção, qualidade e manter o bom funcionamento dos equipamentos, prolongando sua vida útil. Isso inclui o trabalho de reparo e revisão que é necessário para garantir que o sistema de produção funcione corretamente e seja mantido no melhor estado de conservação possível.

Portanto, a manutenção industrial é um investimento e gera benefícios consideráveis ​​em relação ao de evitar ou reduzir perdas por paradas de produção. Além disso, previne e evita acidentes de trabalho, o que aumenta a segurança das pessoas envolvidas no processo produtivo.

O que é a manutenção corretiva?

Como o seu nome indica, manutenção corretiva é aquela que se realiza com o objetivo de corrigir e reparar avarias ou defeitos que ocorram em equipamentos e máquinas.

Dentro das opções de manutenção, ela é a forma mais básica. A razão é que, devido à sua natureza reativa, envolve simplesmente reparar o que está falhando. Isso faz da manutenção corretiva um processo que consiste basicamente em localizar e corrigir as situações que impedem que uma máquina exerça a sua função normalmente.

Tipos de manutenção corretiva 

A manutenção corretiva tem sido a forma mais recorrente que as empresas têm de enfrentar as falhas de suas máquinas. No entanto, podemos identificar dois tipos de manutenção corretiva:

– Manutenção corretiva contingente

Durante o processo de produção, o equipamento está exposto à possibilidade de avarias ou falhas que o impeçam de continuar a funcionar, obrigando a uma interrupção imprevista. Este de contingência exige um reparo para que o equipamento volte a funcionar corretamente e seja possível retomar o trabalho.

Esta ação define a manutenção corretiva contingente, onde uma falha força uma ação reativa não planejada. Além disso, envolve um reparo rápido, para que a máquina danificada retorno à atividade o mais rápido possível, sempre buscando o menor impacto em termos de danos materiais e humanos, bem como perdas econômicas significativas para a empresa.

– Manutenção corretiva programada

Quando falamos em manutenção corretiva programada, nos referimos à ação de antecipar as possíveis falhas que um equipamento pode sofrer durante sua vida útil de um momento para o outro.

A diferença fundamental com a ação de manutenção contingente é que, ao ser programado, esse tipo de manutenção busca prever, com base em experiências anteriores, quando um equipamento precisa passar por um processo de manutenção para identificar peças de desgaste, quebras ou qualquer sinal de que possa levar à paralisação do equipamento.

Neste caso, o procedimento consiste em realizar uma inspeção geral para obter um diagnóstico do estado da máquina em questão. Esta opção de manutenção corretiva permite estabelecer com antecedência e programada a data em que será realizada esta revisão, organizando a disponibilidade de tempo, pessoal e recursos técnicos, além de aproveitar as horas em que as máquinas estão inativas ou em períodos de pouca ou baixa atividade.

Manutenção corretiva: vantagens e desvantagens

Ao optar pela realização da manutenção corretiva, com o objetivo de conservar as máquinas no melhor estado possível para manter os mais altos níveis de produtividade possíveis, existem algumas vantagens e desvantagens que precisamos considerar no momento de tomar a decisão de planejar este tipo de ação. 

As principais vantagens de manutenção corretiva são: 

Maior durabilidade de equipamentos: permite estender a vida útil de equipamentos e máquinas por meio do reparo ou troca de peças e correção de falhas.

Processo de aquisição de equipamentos eficiente: libera a empresa da necessidade de adquirir novos equipamentos toda vez que ocorre uma avaria, permitindo um maior e mais eficiente controle de custos.

– Redução de custos a curto prazo: ao não produzir paralisações ou gastos com peças e mão de obra de forma preventiva, quando as máquinas estão em bom estado e se opta por um processo de manutenção reativa.

– Menos trabalho de planejamento: quando a manutenção corretiva é escolhida, não é necessária muita organização para prevenção, portanto, os recursos só são movimentados quando ocorre a necessidade de corrigir uma falha, identificando o componente específico a ser reparado e executando trabalho de correção.

– Simplificação do processo: torna-se um processo de fácil compreensão. Basta agir assim que ocorrer uma situação que o force a reparar uma falha ou quebra de um determinado equipamento.

Melhor relação custo-benefício: na medida em que os custos de parada da produção para manutenção preventiva são maiores do que o investimento necessário para a realização de uma manutenção corretiva, esta última será a melhor solução.

Como qualquer processo relacionado à tomada de decisão no ambiente de negócios, a manutenção corretiva também apresenta desvantagens. Entre elas, identificamos:

Falhas imprevisíveis: no geral, ao optar pela manutenção corretiva, não há o hábito de observar o equipamento após a compra ou durante um período de operação constante. No entanto, as falhas sempre vão ocorrer em algum momento, mas serão ainda mais imprevisíveis neste jeito de manutenção.

Paralisação de operações não planejadas: quando os períodos de manutenção são realizados de forma reativa, uma falha imprevista significa parar o processo de produção e dispor de tempo para revisar o equipamento, identificar a falha, obter as peças necessárias para corrigir o problema e resolvê-lo. No entanto, esses tempos podem ser críticos, pois esse processo é demorado devido às dificuldades na identificação do problema, demora na obtenção de peças de reposição ou outros imponderáveis ​​não planejados ou previstos.

Limita a vida útil dos equipamentos: ao não proteger ou cuidar dos equipamentos de forma preventiva, aumenta a possibilidade de quebras ou falhas graves, reduzindo sua durabilidade.

Custos mais altos de reparo de longo prazo: quando uma falha é esperada para realizar uma manutenção corretiva, ela geralmente acontece de maneira mais séria e pode ser extremamente cara, causando efeitos negativos na produtividade. Pode ainda afetar aspectos relacionados com a reputação da empresa, satisfação do cliente, segurança ou o impedimento de uma gestão produtiva e eficiente.

Como transformar a manutenção corretiva em uma solução digital?

A manutenção corretiva pode ser um suporte para manter o equipamento digital utilizado em uma empresa. Além disso, pode se tornar uma solução digital, como parte de uma ferramenta para evitar uma série de documentos e formulários em papel.

No primeiro caso, a manutenção corretiva é simplesmente o processo descrito acima, aplicado para que os computadores ou outros dispositivos relacionados ao processo produtivo funcionem de forma correta e eficiente.

No entanto, a manutenção corretiva pode ser digitalizada. Isso engloba todo o processo relacionado com as ordens de serviço, incluindo todos os detalhes e níveis de customização que são necessários para cada ação de manutenção. Isso facilita as coisas, agilizando e otimizando o processo de comunicação, transmissão de instruções entre a matriz e as equipes de execução, coleta de registros e arquivos, entre outras variáveis ​​que podem ser incluídas de maneira personalizada de acordo com as necessidades de cada área ou empresa.

Assuma o controle de suas ordens de serviço

Com a plataforma nº 1 para digitalizar tarefas

Você pode gostar também

Visite-nos e junte-se à Revolução Digital com DataScope

Aprenda a abandonar o papel hoje mesmo!

Sobre o autor

Antonio Frieser
Antonio Frieser

Compartilhe Em

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Gostou deste artigo?

Assine nosso boletim informativo e enviaremos conteúdo como este diretamente para o seu e-mail, uma vez por mês com todas as novidades.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Digitalize suas
Ordens de Serviço

Elimine a papelada, automatize seus processos e mantenha o controle de seus dados.