Como medir a produtividade do trabalho remoto?

Tabela de Conteúdos

Uma das prioridades mais importantes para qualquer empresa é a produtividade. O desafio é atingir a produção máxima, utilizando os recursos disponíveis da forma mais eficiente possível. Mas, atingir esse objetivo tem suas dificuldades. Uma tarefa complexa que adiciona um maior grau de dificuldade ocorre quando as empresas têm equipes de trabalho em casa que realizam seu trabalho fora do escritório. Isso na pandemia tem sido um recurso amplamente praticado. Então, como você mede a produtividade do trabalho remoto?

Vantagens de medir a produtividade de trabalho

Ao medir a produtividade do trabalho, é aberta uma série de oportunidades benéficas para as empresas. Entre elas estão:

– Melhorar seu nível de competitividade em seu setor.

– Estabelecer objetivos e prazos a cumprir.

– Identificar os fatores que podem impedir o crescimento e desenvolvimento da empresa.

– Visualizar e projetar os resultados com antecedência.

– Verificar as ações que têm o resultado esperado.

– Fazer ajustes para atingir os mais altos níveis de produtividade, analisando dados, simplificando processos e tornando a tarefa de análise e tomada de decisão mais eficiente.

– Reduzir os pontos fracos da empresa, transformando-os em pontos fortes.

Por que é importante medir a produtividade?

A produtividade de qualquer empresa está diretamente relacionada à capacidade de uma equipe de trabalho atingir seu mais alto desempenho. E, para isso, é fundamental otimizar cada recurso envolvido no processo produtivo, o que implica detectar o que está sendo bem feito e o que não está, para posteriormente aplicar medidas de ajuste e correção.

Porém, para além dos recursos tangíveis, as empresas também têm que medir uma série de fatores intangíveis, como o ambiente de trabalho, a flexibilidade e as condições de trabalho, o tipo de liderança exercida, entre outros fatores.

A medição de cada um deles visa estabelecer uma dinâmica de melhoria constante, onde a ideia, longe de sujeitar os trabalhadores a exigências difíceis de cumprir, visa garantir que a equipa alcance o seu desempenho máximo de forma sustentada.

Fator pandêmico: a irrupção do trabalho remoto

O que era visto como uma tendência de longo prazo tornou-se uma realidade inevitável para milhares de empresas e trabalhadores como resultado da pandemia Covid-19: trabalho remoto.

As medidas rígidas tomadas pelas autoridades para conter a pandemia obrigaram que os colaboradores trabalhassem de suas casas. E, à medida que a situação melhora e a economia se reativa, o trabalho remoto se mostra viável e as empresas passam a definir sua jornada de trabalho combinando trabalho presencial e remoto, com esquemas híbridos em que os trabalhadores não estão necessariamente no mesmo espaço físico.

Além das grandes vantagens do trabalho remoto, é inquestionável que ele também representa um desafio na mensuração da produtividade. Como avaliar o que cada pessoa está fazendo se você não estiver fisicamente próximo para observar seu trabalho?

O sujeito simplesmente escapa dessa lógica de pensamento. Atualmente, especialistas apontam que a produtividade do trabalho remoto é maior na medida em que as pessoas trabalham com objetivos definidos, em um ambiente de trabalho que promove sua valorização, conforto, alegria e compromisso com a organização.

Transparência: fator chave para uma medição eficaz

Medir a produtividade é um mecanismo de controle. Por isso, é imprescindível que seja transparente, para que os trabalhadores entendam claramente do que se trata, saibam que são necessários dados confiáveis ​​de cada etapa do processo produtivo e entendam o que está sendo medido, como é feito e por quê.

O alcance do comprometimento da equipe de trabalho facilita detectar uma possível queda de produtividade e reconhecer se é uma questão individual ou coletiva. Além disso, permite definir se é por falta de ferramentas, habilidades ou treinamento adequado para a execução do trabalho.

O que devemos medir?

Quando se trata de medir a produtividade de uma empresa, conceitos como quantidade, qualidade e eficiência do trabalho em equipe surgem de imediato. O motivo é simples: se esses fatores falharem, a produtividade será prejudicada.

Porém, a ação quase reflexa para muitos seria pensar em controlar as horas trabalhadas por cada trabalhador, pensando que existe uma relação diretamente proporcional entre esse número e a produtividade. Grande erro.

As métricas que realmente importam vão muito além. O tempo ainda é um fator importante, mas da perspectiva de quanto tempo leva para um trabalhador concluir uma tarefa. A qualidade pode ser medida por meio de erros e acertos, defeitos e até comentários, experiência do usuário e satisfação do cliente. A opinião e as reflexões dos trabalhadores sobre o processo também se somam. Em última análise, os aspectos quantitativos e qualitativos devem estar juntos ao medir a produtividade.

Realizar medições proativas

Os dados que emergem de qualquer medição fornecem informações sobre algo que já aconteceu, por exemplo, a taxa de falha de uma máquina ou o número de vezes que um trabalhador deixou de cumprir uma meta predeterminada específica. Esses tipos de indicadores são conhecidos como indicadores “atrasados”.

No entanto, na procura da eficiência da produtividade é imprescindível ter também indicadores “antecedentes”, que nos permitam assumir ou prever situações que ainda vão acontecer.

Esse tipo de ação proativa pode ser planejada e modificada com mais facilidade, ainda que seja mais difícil de executar, uma vez que não pode ser medida anteriormente. Porém, sua importância está na visualização de possíveis cenários que prejudicam a produtividade.

Entre os indicadores “antecedentes” podemos incluir o conhecimento dos objetivos por parte dos trabalhadores, o que é necessário para os atingir e o que exatamente é necessário em cada dia de trabalho. Como são feitos de forma proativa, é possível obter os dados necessários para atingir o sucesso total na produtividade.

Como aproveitar ao máximo as medições de produtividade do trabalho remoto?

A obtenção de dados por meio de medições não significaria nada se não houvesse um trabalho de análise pós-informação. Ou seja, dados soltos não resolverão muita coisa e o fundamental é fazer uma leitura integrada deles, interpretando-os estrategicamente e tomando decisões que visam sempre melhorar os índices existentes de forma constante.

Assim como os objetivos individuais e coletivos devem estar claros na hora de produzir, ao realizar qualquer medição essa lógica também deve estar presente. Desta forma, é garantido um planejamento adequado, recursos para avaliar corretamente o processo e metas claras que garantam a produtividade sustentada com o melhor desempenho possível.


Baixe o aplicativo DataScope e comece agora!

DataScope é a ferramenta ideal para eliminar o uso de papel, economizar tempo e coletar dados de campo com eficiência. Permite às empresas agilizar, organizar e avaliar o trabalho de campo graças aos seus formulários online, que fornecem indicadores em tempo real, 100% adaptáveis ​​a qualquer área.

Com DataScope, sua equipe pode responder a formulários móveis personalizados de seus telefones ou tablets, online ou offline, através do aplicativo.

Assuma o controle de suas ordens de serviço

Com a plataforma nº 1 para digitalizar tarefas

Você pode gostar também

Visite-nos e junte-se à Revolução Digital com DataScope

Aprenda a abandonar o papel hoje mesmo!

Sobre o autor

Antonio Frieser
Antonio Frieser

Compartilhe Em

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Gostou deste artigo?

Assine nosso boletim informativo e enviaremos conteúdo como este diretamente para o seu e-mail, uma vez por mês com todas as novidades.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.